Filosofia; Arte; História; Humanismo e Ecologia

26
Out 08

No dia 25 de Outubro de 2008, no centro da Nova Acrópole em Aveiro, tivemos oportunidade de assistir a uma apresentação sobre a vertente histórica da Veneza de Portugal e sobretudo do seu legado arquitectónico ligado à Arte Nova, que pelo que foi dado a conhecer, tem características únicas na Europa, pois embora a explosão deste tipo de arte se tenha dado em todo o velho continente e outros países, só na cidade de Aveiro é que se misturou com outras vertentes, sobretudo Victoriano, criando um estilo que marca a diferença e que está profundamente conotado com as características humanas da cidade e da sua história mais recente (200 anos). Foi muito interesante e estimulante assitir a uma comparação entre vários estilos arquitectónicos e encontrar o fio que muito provavelmente os une a todos, como se fosse a própria alma da cidade.

 

Vale a pena visitar. Eis alguns exemplos:

 

 

 

E esis um slideshow do que se vai tornar o museu de Arte Nova, mais conhecido como Casa Major Pessoa:

 

www.flickr.com/photos/22476722@N03/sets/72157603632865468/show/

publicado por filósofo às 19:00

«Ankor assimilava, dia após dia, mês após mês, a serena majestade das árvores, a beleza alegre das quedas de água, o entusiasmo avassalador das tempestades e a prudência das gazelas. As plantas, o vento e a cascata, ao penetrarem na sua alma, enchiam-na de misteriosos murmúrios, de seres transparentes e musicais… (...) Das nuvens de incenso e mirra, que agora aureolavam as altas lâmpadas, caíam espaçadamente pétalas de lótus brancos e azuis, ornadas de orvalho gelado. Chegados ao caracol, que não teria menos de dez metros de altura, Assh explicou-lhe que era o símbolo do tempo e que os seus olhos, elevados acima da cabeça, representavam a intuição da Alma, muito superior ao raciocínio da mente. (...) Após uma reverência, cingiram a fronte de Ankor com uma fita de ouro que segurava uma serpente, à qual chamavam Oureus, símbolo da atenção, da vontade e da perseverança. Entregaram-lha com estas palavras: — Este é o símbolo do poder sobre a Vida e sobre a Morte.» Na Ilha de Poseidónis, último fragmento do mítico continente atlante, encontramos Ankor, um príncipe e filósofo que será a última Serpente Solar daquela civilização portentosa. A sua aventura iniciática comove todo aquele que interroga os mistérios mais profundos da alma humana e do Universo. Uma obra ímpar, já publicada em mais de sete línguas, que nos transporta para um mundo pleno de beleza e sabedoria. Mas, conseguirá Ankor, depois da sua iniciação, cumprir a grande missão da sua vida, com o fito de que esse mundo não se perca totalmente?

 

Livro altamente inspirado e inspirador! O auto é Jorge Angel Livraga.

Aqui o site da editora: www.esquilo.com

 

 

publicado por filósofo às 18:52

12
Out 08

Transcrição de uma conversa entre mestre e discípulo algures no espaço e no tempo...

 

- O Discípulo de um sábio filósofo chegou a casa deste e disse-lhe: -Mestre, um amigo teu esteve a falar mal de ti

 

 - Espera! - interrompeu o filósofo- já fizeste passar pelos três crivos aquilo que estás prestes a contar-me?

- Os três crivos? Perguntou o discípulo

 

 - Sim. O primeiro é o da verdade. Tens a certeza de que o que queres dizer-me é absolutamente certo?

- Não. Ouví alguns vizinhos a comentá-lo

 

- Pelo menos te-lo-ás passado pelo segundo crivo, o da bondade. Isso que desejas dizer-me, é bom para alguém?

- Não, na realidade não. Pelo contrário

 

 - Bem! O último crivo é o da necessidade. É necessário que eu saiba aquilo que tanto te inquieta?

- Em boa verdade, não

 

 - Nesse caso – disse o sábio a sorrir-, se não é verdadeiro, nem bom, nem necessário… vamos esquecê-lo.

 

www.nueva-acropolis.es

publicado por filósofo às 17:50

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO