Filosofia; Arte; História; Humanismo e Ecologia

02
Set 08

Saudações:

 

No mundo e por reflexo, naqueles que vivem nele, existem dois tipos de humildade: a verdadeira e a falsa.

São tão distintas, que se fossem parentes, não o pareceriam, pois são mais as características que as distinguem, do que aquelas que as assemelham.

Para começar, a verdadeira humildade quere-se discreta, sensata, eficaz, altruísta, simples, serviçal e de coração aberto. É uma atitude que prova uma ligação profunda com o divino por parte da pessoa que a vive. É como o herói que anda nas sombras, não para esconder alguma monstruosa faceta, mas porque se contenta com o bem que dispensa.

Já a falsa é perniciosa e está cheia de vaidade, egoísmo mascarado, necessidade de sobressair em relação aos outros, necessidade de humilhar e pisar para sentir-se grande e não serve mais do que para provar, da parte de quem a manifesta, um desejo de estar sempre à frente, ainda que seja à custa de dissimulação e mentira.

 

"Mais vale cultivar um cantinho de humildade verdadeira, do que campos inteiros da outra falsa"

Jorge Angel Livraga

publicado por filósofo às 00:38
tags:

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO