Filosofia; Arte; História; Humanismo e Ecologia

19
Abr 09

Saudações:

 

Deixo aqui alguns excertos de uma conferência proferida na Nova Acrópole de Aveiro sobre o tema da crise e da possibilidade de esta oferecer uma (ou na realidade ser) oportunidade de mudança que deve ser aproveitada:

 

"A palavra crise na sua interpretação etimológica para além de outros conceitos, significa mudança e para superar o sentido avassalador destes momentos difíceis é necessário reconhecer que a nossa cultura não é única na história. Houve muitas outras civilizações com momentos de crise tão ou mais duros do que esta que vivemos agora e que conseguiram ultrapassá-los”

 

“ O aspecto económico é só uma das facetas de algo que já se vem a prenunciar há muito tempo, algo que conhecemos como crise de valores”

 

“Algo que tem contribuído para o estado de coisas actual é o pensamento absolutista de que política, ciência, religião, arte e tantas outras expressões da humanidade são estanques e valem unicamente por si, esquecendo que todas elas fazem parte de uma cosmovisão integral”

 

“Tal como a lagarta da borboleta passa por um estado de metamorfose que se chama de crisálida (algo assim como crise alada) para se transformar num belo ser, também as crises são momentos de transformação para o Homem”

 

“Tal como Narciso (no mito Grego) que enamorando-se da sua própria imagem e louvando a sua própria beleza ficou presa desta, nós os Homens ficamos presos da nossas próprias conquistas”

 

“Somos ensinados a evadir os problemas e não a enfrentá-los”

 

“Como associamos o bem-estar geral com o bem-estar económico e como fomos perdendo poder de compra e comodidades já adquiridas, entendemos a crise como uma catástrofe”

 

“ Não se trata de mudar governos ou estruturas, mas sim de uma mudança interior que mais tarde ou mais cedo se vai reflectir nessas estruturas”

 

“ Ainda que se fale de um futuro melhor, havemos de ter em consideração que o tempo presente também representou para os que nos precederam um ansiado futuro com comodidades e facilidades que só muito em parte se realizou. Cuidado com as expectativas baseadas na fantasia”

 

“Andar pela vida com indecisões não é natural, demonstra uma falta de resolução porque afinal a vida pode não ser tão longa quanto julgámos e andar ao sabor das modas pode deixar um grande amargo de boca, lá mais para o final da vida”

 

“Por mais humilde que pareça ser, todos podemos dar um contributo para desmistificar os sintomas da crise. Temos que ser corajosos para expressar as nossas convicções desde que dentro de um respeito pelas dos outros e até pode ser que se descubra que as nossas convicções e motivações não sejam assim tão diferentes. Mas para isso é preciso abrir-se para o mundo, dando-lhe o nosso melhor”

 

Um abraço para todos.

 

publicado por filósofo às 12:42

Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO